Crônica: A arte de escrever em mim.

22:03


Após dias e mais dias sem escrever me vem vontade. Infelizmente sem muita inspiração. Já li muito nos últimos dias, já vi filmes e pesquisei sobre comportamento animal-coisa que adoro fazer-principalmente de gatos.
Os bichanos realmente me inspiram. Mas não é algo que eu sei como escrever, Mas em fim o motivo que venho aqui vos lhe dizer, eu não sei bem.
Isso é crônica? Sinceramente penso que não. Na verdade acho que elas evoluíram, e só saem melancólicas quando eu estou apavorada - e com um turbilhão de sentimentos deprimentes- na grande maioria são os melhores textos.
No momento só sinto a vontade de escrever algo, nada especifico ou que possa atrair vós os leitores, um texto sem objetivo não vai longe. Disso sei bem, mas então como sinto isso? Como sinto as palavras emergirem em minha mente e a única coisa que eu sinto é que devo escrever!  Mas meu Deus, sobre o que eu escrevo? Espero que essa sede repentina de mais palavras me libertem.
A escritora dentro de mim grita, pedindo que a libertem pois ficou um tempo presa e precisar desenferrujar. Li algo hoje sobre escritores, e motivos para não namorar um de nós. Francamente concordo um pouco com o artigo.A medida que somos sociais, somos realmente anti-sociais. Contraditório eu sei.  A forma que nós convivemos com os outros é muito diferente do que convivemos com a escrita, a escrita é o que nos deixa respirar o ar puro, nos deixa leve. Ao contrário do  modo como encontramos os ''outros '',  eles podem parecer estranhos e nem sempre consigo me relacionar com as pessoas.
A escrita é algo que não vivo sem, e hoje sinto a falta que ela faz. Entrei em enorme hiato tanto com vós  e com  a Alexia- personagem principal de Quarta-feira a culpa e ela.- sei que estão todos desapontados  com esse muro de vidro que nos cerca, e nos dá uma barreira a seguir. Mas cabe a mim encontrar na barreira   um brecha na qual poderemos retornar do ponto que paramos,
Amo o barulho do teclado em quanto digito, os segundos voam, o tempo  passa, e eu memorizei cada tecla dele  e posso  escrever sem nem ao menos olha-lo, é uma extensão de mim.
A arte está presente em mim, e a cada palavra escrita coloco o sentimento, que espero que possa ser sentido do outro lado dessa tela. Só perdoem os momentos em que eu não os escrevo, eu amo tanto fazer isso! Mas falta a inspiração- e infelizmente não sou uma eximia escritora que ainda mesmo sem a inspiração à porta consegue escrever usando da transpiração- ainda me  deixa sem voz, sem treino. Ah, mas um dia chega! O dia em que serei uma metralhadora soltando palavras em papel por segundos- eu já o faço na palavra falada-  mas aprendi a ser mais silenciosa possível. Assim eu prometo a mim e a vós, que nunca mais vou deixar as palavras que em mim  reinam naufragar.




You Might Also Like

1 comentários

  1. Lindo momento Sara ,existem momentos em que as palavras jorram ,outros nem tanto ,mas com certeza tudo faz parte de uma evolução ,e escrever não é fácil ,mas é maravilhoso quando as palavras começam a brotar no papel ,muitos beijinhos ,muitas felicidades Sara.

    ResponderExcluir

Olá, o que achou? Comente, juro que respondo assim que possível. Se quiser pode me mandar um email também por:
sarasblog07@gmail.com

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images