CRÔNICA:Eu sou o que eu escrevo, e a escrita é o que sou.

16:48






Escrever já não era mais uma necessidade, se tornou um hábito, uma dependência.Era a loucura ou o resquício de que ela existiu.Pois sem aquilo uma habilidade terapêutica,eu acho que nada conseguiria. Sim, escrever era uma dependência, ainda é.
E eu só sinto a  vontade e a necessidade de colocar em cada verso, em cada estrofe, ou em cada paragrafo aquilo que minha alma deseja e o que almeja. Eu sei, é o céu.Mas eu ainda não consigo compreender o que era tão importante para ser dito, ou se alguém leria.
Eu... só precisava escrever;ainda preciso.É como uma loucura, é o meu meio de fugir do mundo, é onde eu encontro o meu mundo.
 É incrível como em cada palavra escrita, eu me identifique e me liberte, de tantos tormentos que cercam minha alma, e quando eu não o faço a angustia toma  conta.  E tem uma voz bem lá no fundo que me ordena  a  fazer,  seja no computador ou na folha de papel,mas eu preciso.
A necessidade já é uma constante, e mesmo assim eu não sei... Não era a necessidade somente  ou uma simples dependência.
De qualquer modo não era uma dependência que condenava,  que levava a morte  mas sim a abstinência dele. Eu sentia que aquilo era parte de mim, que fazia parte dos meus dias e estava gravado em mim, em cada pinta, em cada sarda que eu tenho, está gravado,  está escrito algo e eu sinto isso, é um dom.
E eu seria muito fria , se eu não o recebe-se e é por isso  que em cada vez que  eu leio  algum livro de gramática  ou  eu procuro algum fato histórico para escrever  Quarta Feira a culpa e ela, e eu sinto que não estou pronta, e talvez eu nunca esteja, talvez eu nunca seja uma grande escritora.
Mas enquanto eu existir eu vou fazer com que esse desejo se torne realidade,  e eu vou me aperfeiçoar no meu dom, e na minha arte, pois eu sou aquilo que eu escrevo, e a escrita  é aquilo que eu sou.Palavras  são a maneira de expressar tudo o que eu sinto, sempre foi.
Mas como dizia Clarisse Lispector  ''Palavras são meu domínio sobre o mundo''.
Faço dela, minhas palavras... pois é assim que eu me sinto. A cada vez que escrevo algo novo, conquisto um pouco do meu lugar no mundo... E sim eu fico feliz por ocupar esse lugar. A escrita me evoluiu, assim eu posso dizer com toda certeza, eu nasci para escrever. E escrever eu vou. Não vou desanimar como já o fiz, prometo... Não quero deixar de conseguir um lugar no mundo. E se a escrita, é o meio mais eficaz de o fazer, eu farei.
Eu sou aquilo que escrevo,e a escrita é aquilo que sou.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Palavras que florescem delicadamente ,que brotam emoções como sensações ,umas ternas outras amargas ,mas sempre livres ,desnudas de sonhar ,assim é quem desliza nas entrelinhas a intensidade da vida numa folha de papel,muitos beijinhos ,felicidades Sara.

    ResponderExcluir

Olá, o que achou? Comente, juro que respondo assim que possível. Se quiser pode me mandar um email também por:
sarasblog07@gmail.com

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images