CRÔNICA: Desistir

22:44




Oi.Só vim avisar que estou desistindo. Eu preciso de tempo. Pensar coerentemente. Você não me conhece. Eu não te conheço. Nunca nem nos vimos. Dói saber que nem uma foto contigo eu tenho. Dói você não poder ver meu lado sensível, e sarcástico. Distantes. Ah!Estamos bem distantes. Não digo só pelo espaço, mas nossas almas, não parecem mais ter sintonia.

Dói. Porque parece que só eu to lutando. E eu espero que você não seja estúpido o bastante de ler esse texto e não ver que eu escrevi pra você. Como os outros que tenho engavetados em cadernos e no word.Não deixe isso virar só uma amizade qualquer. Me ajude!Estou me agarrando a você como se fosse a última gota de água no deserto do Saara.Você me viu! Você viu minha alma! E estou chorando,pela segunda vez hoje. E eu prometi não  chorar mais. E eu quebrei essa promessa. 

Grudada na droga do celular eu espero que você me mande alguma mensagem, como no início. Espero que você corra atrás, nem que seja um pouco. Sei que somos ocupados. Muito. Mas parece que você me evita. E droga. A tanto tempo eu não tinha um melhor amigo.Não deixe isso acabar. Me ajude! Estou sozinha agora. Nesse quarto escuro, chorando. É madrugada.E eu estou abrindo mão. 

De novo. Se eu colocar a máscara impassível, não me culpe. Só não quero chorar. Não quero mais escrever textos. E eu só escrevo textos sobre alguém que é de suma importância. E puxa. Você é  importante!Muito. Ambos temos culpa. De desistir.De não desculpar. De essa amizade estar se esgotando. Mas eu não vou lutar por ela sozinha. E eu abro mão. 

Juro. Quando sentir minha falta me procure,eu jamais esquecerei de algo que me disse. Lembro de seus compromissos, de suas amizades, e de sua banda favorita. Não se esqueça. Londres e Paris serão nossas um dia. Talvez as alcançamos juntos. Só não deixe isso morrer! Por favor... Não me deixe desistir, não desista. Isso é uma corda, um cabo de guerra, se alguém soltar o outro caí. E nós dois estamos soltando juntos. E eu só solto se você der indícios de solta-la. E você sabe que se eu soltar, não a volta. Posso mandar mensagens sem parar durante um dia, e ficar certo tempo sem mandar de novo. Mas eu sempre volto.E quando eu deixar de me preocupar,eu não vou voltar. E eu desejo muito voltar. Estou dando um stop. Quando quiser voltar ao jogo, me dê um oi. Se eu não receber ele, não o procurarei. Uma conversa não é um monólogo. E eu ando falando  com coisas e comigo mesma. Você é um dos poucos para qual não me fechei.Não me deixe fechar.Você é a última gota, lembra?

You Might Also Like

1 comentários

  1. Estou adorando Sara ,cada vez mais cativante os teus lindos momentos ,desistir jamais ,dar um tempo talvez ,tudo tem remédio menos a morte ,beijinhos muitas felicidades .

    ResponderExcluir

Olá, o que achou? Comente, juro que respondo assim que possível. Se quiser pode me mandar um email também por:
sarasblog07@gmail.com

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images