CRÔNICA: Sorria, moça, sorria.

19:31





Sorria. Sei que está querendo sorrir. Gargalhe, moça. Sorria pra vida. Tudo tá começando agora. O medo não vai parar, nem o tempo.
A ansiedade de viver é grande eu sei, então só... viva. Pare de se preocupar com os outros, afinal eles não vão viver.Não por ti. Eles não sorriem.

Seja a garota do contra. Gargalhe de tudo, gargalhe do nada. Só não ria demais. Porque daí já é desespero.Aí  mostra que seu coração doeu. Não chame a atenção de ninguém com seu riso indiscreto. Felicidade é melhor contida em quatro paredes do que em quatro cantos do mundo. Dura mais.

Ele não precisa ver que você está bem sem ele. Embora seu orgulho precise. Mas o que isso muda? Nada, isso não muda nada. Dê aqueles meios sorrisos, olhe para as pessoas de maneira divertida. Podem te achar maluca, ou misteriosa. Desde quando adjetivos importam?

Sorria, moça. A vida é bela. Se desperte. Você merece mais, já faz três anos. Só que nada mais importa. Seu ego inflamou? Dê um jeito de rebaixa-lo  - mas não demais. Moça, o que tá fazendo aí? Por que não tá sorrindo?

Ah, sorriu.

Cadê as lembranças? Cadê os sonhos de antes? Cadê os amores de antes? Anda com o gato? É, não me leves a mal, moça. Mas por que tá ai, se lamentando?  Gostar de gatos nem é pecado. Mas desistir de amar é.

O sorriso espontâneo sumiu. Por que? Você não disse que havia esquecido? Que havia desistido desse sentimento. Me diga! O que você prometeu a si mesma? O que disse que não faria? O que disse que esqueceria, que perdoaria?

Ah, moça. Quando é que vai deixar a vida te levar? Nem que seja por um instante, não todo tempo. Mas o bastante para ser feliz. O bastante para lhe arrancar uma bela gargalhada.
Que graça tem a vida? Não sei, nem sei se ela é engraçada ou se frequentou um circo em determinado estágio do universo.

Só sei que ela é boa, moça. Boa demais para passar em branco. Para ficar só nessa de TV a cabo das antigas, nesse tal do preto e do branco.
Só sei que ela deve ser feliz. Que se deve sorrir, moça. Ninguém é  totalmente infeliz. Você também não é e nem será. Não enquanto houver uma alma aí. Não enquanto cultivar o que cultivas. Não enquanto ser quem és.

Moça, gargalhe. A vida lhe pede isso, e... eu também.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Simplesmente belíssimo Sara ,um momento cativante do princípio ao fim ,que o sorriso seja uma constante da vida ,que cada momento se encontre sempre motivos para sorrir ,muitos beijinhos no coração Sara .

    ResponderExcluir

Olá, o que achou? Comente, juro que respondo assim que possível. Se quiser pode me mandar um email também por:
sarasblog07@gmail.com

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images