CRÔNICA: Cognitivo

16:09




Cognitiva.Foi essa a palavra que recebi de um amigo escritor para fazer essa crônica. Pô, colega, cê ferrou comigo.Isso lá é palavra pra se dar a uma pessoa que quer escrever um texto perto da hora de dormir? Disgrama.

Segundo o nosso lindo e maravilhoso Google, cognitiva significa relativo a cognição,ao conhecimento. E eu que esperava que um raio caísse do céu e iluminasse o caminho - nem que seja tacando fogo numa árvore no meio do pasto ( longe de animais e pessoas!). Não. O rei Google não fez um raio cair do céu, na verdade ele me colocou dentro de um elevador. Céus, odeio aquela caixa de fósforos feita de metal vulgo elevador.

Estou protelando.

O fato, querido, é que você sempre foi uma pessoa muito sagaz, cognitiva uma pessoa capaz de conhecer. Não estou falando do que aprendemos na escola, não que você não seja capaz,porque você é, e sabe disso.

Você sempre foi capaz de compreender as contas mais loucas e ousadas que a professora de física desenhou no quadro.Você foi a mesma pessoa que discutiu com ela sobre um gráfico.

Você foi a pessoa que riu da minha cara. Você, querido, foi bem mais do que um palhaço irônico. E nós dois sabemos disso.

Você me pareceu uma incógnita insuportável, dessas que a gente desiste de tentar descobrir onde vai dar. Só que eu ainda não consegui desistir. Você me parece a melhor incógnita que eu tive o prazer de trombar  na aula de matemática.

Você, representante do conhecimento,numa busca cognitiva por mais e mais conhecimento. Você observador assíduo do mundo, filósofo próprio, sagaz de mais para o próprio bem.

Eu nunca esperei que fosse tão tapado.

Dei todos os sinais. Você viu meu olhar magoado. Você retrucou com um simples olhar compassivo, de pena. Foi você que não foi sagaz. Só há uma pessoa que eu considere  com o mesmo posto, e essa posição quem ocupa é você.

Não é todo mundo que eu chamo de.melhor amigo. Não é pra todo mundo que eu digo que amo. Não é pra todo mundo que eu digo um eu te odeio sendo mentira, porque quero dizer um eu te amo.

Tão tapado. Minha prima jura que tu me ama. Que tu não pode ser tão tonto a ponto de não ter percebido, já que depois de me ouvir falando tanto de você e dos inúmeros print's (desculpe, há coisas que garotas precisam repassar- 50% das conversas mais agitadas e que parecem ter um sentido oculto.) E elas sempre parecem ter um significado oculto.

Puxa. Tu acha que eu ia planejar  ir pro outro lado do mundo, pra te  ver se tu fosse um qualquer? Que eu ia querer atravessar o oceano rumo a Europa num tour por Londres, Paris e Irlanda com um reles menino?

Já percebeu quantos textos fiz pra ti? Já percebeu o que quero dizer pra ti quando digo que tu enxerga minha alma?  Já  percebeu que eu disse coisas a ti que ninguém além de mim sabe nessa terra?

Você percebeu que eu te digo que te amo das maneiras mais implícitas?

Se não percebeu, que o raio parta seu lado cognitivo. Talvez assim pare de bancar o Nerd e começa a seguir teu próprio conselho. Vê se abre esse coração tão  tapado pra mim.

Sabe, sei bem o que tu pensa. Como sabes o que penso. Diz verdades que meio mundo nunca diria na minha cara. Adora me assustar. Adora zoar de mim. Adora ser irônico  e dizer que nunca conseguirei tal proeza.

Segue nesse rumo. Só espero que pare em algum momento e me olhe com outros olhos. Deixa teu lado inteligente ceder. De vez em quando faz bem.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Sara de facto uma palavra que me levaria para as aulas de filosofia do conhecimento do nosso próprio eu viajando entre psicologia empírica e a psicologia racional ,mas gostei como transformaste este momento dialogando usando o pronome você na terceira pessoa,muitos beijinhos felicidades querida amiga.

    ResponderExcluir

Olá, o que achou? Comente, juro que respondo assim que possível. Se quiser pode me mandar um email também por:
sarasblog07@gmail.com

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images